A volta da estética oitentista às tendências fez disparar a procura por lentes vintage em sites como o eBay. Feitas com vidro de alta qualidade e revestimentos especiais, essas lentes são bastante claras, aumentando o contraste e diminuindo eventuais falhas técnicas e ruídos indesejados. Mas elas podem ser perigosas.

Usados até mesmo por Carl Zeiss Jena e Canon para revestir suas lentes, elementos como o lantânio e óxido de tório, que dão uma cor amarronzada ou dourada às imagens, também emitem ondas radioativas que podem fazer mal a quem está por trás do clique.

A polêmica acerca do assunto surgiu no YouTube, onde vários videos mostram pessoas utilizando essas lentes com um medidor de radiação ao lado. Enquanto algumas delas não emitiram nenhuma radiação, outras fizeram o contador do medidor disparar a níveis assustadores.

Dentre as lentes que emitiram radiação a níveis perigosos estão as primeiras Zeiss Jena Pancolar 50mm f1.8, as lentes da séries Pentax Super Takumare e Minolta MC Rokkor, Canon FD e das Super Baltars, da Bausch & Lomb.

Geralmente, as ondas emitidas pelos revestimentos dessas lentes são do tipo alpha e beta, que não alcançam mais de um metro de distância e podem ser facilmente bloqueadas – diferente das ondas gama e de raio-x, mais potentes. Além disso, nem todas as lentes que produzem fotos com matizes amarronzadas ou douradas conseguem esse efeito necessariamente a partir de elementos radioativos. Às vezes, o próprio tempo de vida dos vidros podem deixá-los levemente amarelados, por exemplo.

Mesmo assim, o risco de ser exposto a níveis perigosos de radiação ao fotografar com lentes antigas não pode ser ignorado. Inevitavelmente, o profissional manuseia esses equipamentos a todo momento e ainda os coloca próximo aos olhos, que são muito sensíveis às ondas de radiação emitidas pelo tório e pelo lantânio. Os danos, portanto, são uma possibilidade real.

Estima-se que a radiação recebida ao manusear equipamentos produzidos com esses materiais é equivalente a estar constantemente exposto a um aparelho de raio-x.

Por isso, apesar de ainda não existirem testes científicos que comprovem ou refutem a ideia de que as lentes antigas possam causar algum dano, o mais prudente seria evitar o uso delas até que novas pesquisas acerca do assunto sejam feitas. Até lá, não existe outro jeito de evitar o perigo se não utilizando equipamentos comprovadamente seguros. Fique de olho!

Escrito por Gabriel Justo

Compartilhe:

Comentários