Em termos produtivos, é a diária é que define o seu trabalho

Uma das principais coisas que vai fazer parte do orçamento do seu serviço de gravação — além do preço, é claro — é o tempo de duração da sua diária. A diária é o número de horas que você e sua equipe precisarão para captar todo material que vai render o produto final, seja no estúdio ou em um local qualquer, como uma rua ou uma praça.

 

Controlando o tempo

O tempo que você vai precisar, de maneira geral, dita o quão eficientes e planejados são você e a sua equipe. Entender a ordem de cada processo, além de saber quanto tempo eles vão demandar para que possam cumprir o briefing que foi passado para você — e que deve estar muito bem estudado — é, muitas vezes, o que vai destacar seu serviço de algo mais amador para algo mais profissional.

Mas, como você pode planejar uma diária?

A primeira coisa pra ter em mente é lembrar que você deve estudar bastante processos audiovisuais de captação e iluminação, experimentando novos meio de fazer aquilo que você já tem uma noção: sabe aquele movimento de câmera que você viu em um vídeo na internet ou ainda em um comercial legal? Então, procure por quem o fez e veja tutoriais e dicas de como incorporar às coisas que você faz. Por incrível que pareça, se manter antenado sobre o que rola de melhor no mundo do audiovisual é o primeiro passo para organizar para saber o que ocorre e quando ocorre na sua diária.

Onde vai ocorrer sua diária?

Depois é analisar o local em que a gravação vai ocorrer. Claro que dentro do estúdio, feito e preparado para o nosso universo, tudo fica um pouco mais fácil, mas muita gente se perde na diária por não prever as condições que outros locais da gravação oferecem: se você está num shopping à noite, por exemplo, e precisa retratar uma fachada sem muita gente, pode acontecer que leve mais tempo para conseguir gravar. Assim, é importante fazer uma pequena pesquisa e ver o que você vai ter que fazer nesse local para cumprir com a gravação.

Escolhas certas para um resultado ainda melhor

A escolha do equipamento correto é essencial para uma eficiente. Material insuficiente para o que foi “briefado” acaba gerando imagens pobres em conteúdo, mas o excesso de bagagem, além de dar trabalho na logística, pode fazer com que você perca tempo no local, seja na mobilidade, se suas coisas estiverem numa cartucheira, ou naquela de ter que recorrer a mala de equipamento a todo momento. Pegue as dicas que aprendeu no primeiro passo, pense nos enquadramentos e efeitos que quer e escolha o equipamento que você vai precisar pra isso. É certo de que vai funcionar.

Juntando tudo

Quando você junta tudo isso, o número de horas necessário para fazer acontecer a coisa toda começa a surgir. Claro que gravações mais simples normalmente vão te levar para diárias mais curtas — o que também acaba acontecendo quando você começa a dominar mais processos —, da mesma forma que gravações que exijam mais ângulos, efeitos e outros requisitos vão acabar tomando mais tempo, e acertar o tempo da diária vai vir justamente com a experiências de outras, o que significa que você só vai saber depois que testar.

Então prepare-se: você vai ter diárias que vão ser cumpridas muito antes do tempo previsto, seja porque o ator ou o objeto é fácil de ser captado ou ainda porque partes do projeto não vão mais fazer parte das gravações. Isso acontece. Mas pode acontecer de você não render tanto e estourar o tempo um pouco — cuidado para não ser muito: captações que estouram o tempo em muito normalmente causam uma sensação de falta de profissionalismo, além de, em muitos casos, gerar prejuízos, no caso de estúdios, por exemplo, que eventualmente cobrem por hora.

Uma grande dica

Uma das coisas, porém, que podem te ajudar e muito a evitar esse tipo de coisa é acrescentar algum tempo no momento que estiver fazendo o planejamento ou plano de ação. Uma hora ou uma hora e meia podem fazer toda a diferença na sua gravação e te dar aquele sagrado respiro de fazer mais um imagem que esqueceu ou que pode render um take único para sua gravação. Então já apresente para o seu cliente a diária contando com essa “gordurinha”: com o tempo e a experiência, você vai notar que ela vai ser cada vez menos necessária.

Por fim, fazer com que o tempo jogue a seu favor na hora de alguma gravação é a coisa que mais pode te ajudar. Mas pra isso acontecer é preciso que você estude bem o briefing, tenha o conhecimento necessário para você executar bem o que foi passado, além de escolher bem o material que você vai usar, e caso precise, use aquela hora reserva que você já previu para dar uma desafogada. Isso com certeza vai fazer com que você tenha mais organização, consiga manejar melhor seu tempo e com que seu serviço seja mais profissional.

 

Compartilhe:

Comentários