Mesmo que você não seja animador profissional ou mesmo designer de motion graphics, você ainda pode criar animações atraentes com algumas técnicas simples.

Muitas vezes as artes gráficas impressionam — e dão muito medo — em quem já trabalha ou produz conteúdo audiovisual. Parece sempre muito complicado e demorado para fazer, fazendo que anos e anos de treinamento e conhecimento prático da questão sejam necessários, o que faz com que muita gente fuma um pouco de Jobs que envolvam a produção desse tipo de trabalho — seja terceirizando ou, no pior dos casos, negando o trabalho em si — ao invés de se engajar na área.

E tem muitas partes da produção de um bom vídeo ou peça que podem ser realmente afetadas por um trabalho bem feito em motion graphics, mas elas normalmente esbarram em questões como a falta de recursos financeiros para que tudo seja feito — equipamento e pessoal especializado costumam deixar o processo um pouco mais custoso —; ou ainda a falta de conhecimento necessário para que você mesmo possa fazê-lo recorrendo àquilo que já tem.

A questão é que isso é…balela.

Mesmo alguém que ainda está começando no audiovisual pode criar algo em motion graphics — ainda que seja básico e simples.  O segredo, porém, está em saber como usar as técnicas que vão parecer mais profissionais e que atenda melhor ao estilo desenvolvido no seu vídeo.

Nesse vídeo, Aidin Robbins dá uma boa e rápida visão geral de algumas coisas que você pode fazer para que suas animações ou motion graphics fiquem ainda mais atraentes. É só conferir o vídeo aqui em baixo — e não esquece que você pode ver com legendas também.

Fazendo o rascunho do seus motion graphics

De novo, você não precisa ter um design muito complexo nessa fase. Talvez tudo o que você precisa é uma superfície, uma escala ou ainda um linha reda, o que não requer muito esforço para ser feita. Como Aidin Robbins mostra no vídeo, use as ferramentas do seu editor de conteúdo para fazer seu design e vá adicionando as camadas (layers) até que a composição esteja completa. Então, uma vez que todos os seus elementos estão feitos e colocados onde você quer, combine as layers para que virem uma só composição que pode ser posicionada na sua timeline e manipulada como um elemento único.

No vídeo abaixo você encontra um tutorial pra quem está começando do Sonduck Films que vai te dar algumas noções básicas de motion graphics para o After Effects. (Dá também pra ver com legendas).

Use o motion tracking como no seu motion graphics

Se você quiser fazer com que o seu motion graphics fiquem ainda mais interessantes e com aspecto profissional, uma das coisas legais que podem ser feitas é relaciona-las a algum objeto em movimento dentro do frame — um processo com nome, em inglês, de motion tracking. Talvez seja um carro passando, uma pessoa andando, ou ainda uma parte dessa pessoa que passa, como seus braços ou mãos — qualquer coisa que seja você pode aplicar o motion tracking em um ponto para que o motion graphics que você desenvolveu percorra o caminho determinado por aquele movimento.

 

O Pond5 tem um tutorial bem interessante que mostra como fazer o motion tracking também dentro do After Effects. (Esse também tem legendas).

Faça com que ele pareça de uma forma criativa

Agora, você já tem um motion graphic pronto para ser usado no seu vídeo, mas como colocar ele lá? Não se trata só de colocá-lo na timeline e pronto. Por mais que esse tipo de recurso seja interessante quase que por si só, não é melhor que você use ele de maneira mais fluida e que se encaixe no vídeo do que simplesmente jogá-lo? Um fade, ou uma rotação no movimento podem fazer com que o efeito não fique tão aparente e dê esse tom mais profissional a coisa. Então teste e veja qual é a que melhor se adequa ao tipo de entrega que está fazendo.

Desfoque o fundo para colocar o motion graphics em evidência

Uma das coisas que o Aidin Robbins menciona no vídeo é a técnica que Peter McKinnon usa que realmente ajuda a prender a atenção do público para o motion graphics que se está usando: desfocar o fundo. Essa é uma daquelas coisas que você faz com que você pense “como eu não imaginei isso antes?”, mas é completamente verdadeira — adicionar ao vídeo um pouco de desfoque no fundo vai permitir que o trabalho feito em motion graphics fique com maior enfoque e nitidez para quem está assistindo, fazendo com que o vídeo fique melhor —e que você se sinta um designer de motion graphics ainda mais esperto.

A importância de fazer seu próprio motion graphics

O que Aidin Robbins menciona no vídeo é muito importante: faça seu próprio motion graphics. Por mais que os vídeos de tutorias que estão nesse artigos sejam muito úteis e fáceis de fazer, será melhor para sua criação se você os usar mais como fonte de inspiração do que como uma receita pré-pronta do que você pode ou não utilizar nos seus vídeos.

Então, se possível, assista e consuma muito dos tutoriais que estão disponíveis internet a fora, seja no YouTube ou em cursos presenciais ou online especializados, aprenda todas as técnicas que são possíveis de serem usadas na sua produção, e use o que aprendeu para criar algo surpreendente e novo.

 

Compartilhe:

Comentários